Anuncio!!

Anuncio!!

domingo, 21 de maio de 2017

“Falta de apoio, falta de patrocínio, a gente sente”, disse o presidente do Ferrim

Renneé Fontenele | 20/05/2017 |
Presidente tricolor, Rodney Spindola. (Foto/Renneé Fontenele/Ascom)
Em entrevista concedida à TV Delta de Parnaíba, na manhã deste sábado (20), o presidente do Ferroviário Atlético Clube, Rodney Spindola, falou sobre a situação do Ferroviário na competição estadual sub19.

Na Casa do Atleta, parte da sede tricolor recentemente reformada por ele, Rodney Spindola mencionou a ausência de apoio e de patrocínios.

Entrevista foi concedida na Casa do Atleta tricolor. (Foto/Renneé Fontenele/Ascom)
“Falta de apoio e de patrocino, a gente sente. Hoje, vocês estão vendo a Casa do Atleta montada. Estamos com 7 atletas de Teresina, para reforçarem o nosso time sub19, mas nós não temos o patrocínio, o apoio que gostaríamos de ter. Estamos com a força de vontade, recursos da diretoria, maior parte da ajuda do presidente do clube (que sou eu), e a gente está buscando parceiras, mas, infelizmente, em Parnaíba, é difícil... Os ônibus, estamos pagando... Mandamos ofícios para o SESC, o SESI, não conseguimos... A gente está tentando uma conversa com o prefeito na próxima semana, pra que ele veja nossa situação e possa nos ajudar quem sabe a partir das próximas rodadas, porque é um campeonato sub19, é um campeonato importante, é um campeonato que revela jovens atletas para o cenário nacional, e é um campeonato que dá direito a duas vagas pra que o Piauí tenha representantes na Copa São Paulo e o Ferroviário está em busca de uma dessas vagas, pra que a gente possa no ano que vem, se Deus quiser, em janeiro em São Paulo, jogar a Copinha, representando o Piauí.. É este o nosso objetivo...” ponderou Rodney Spindola.

Rodney Spindola desabafou. (Foto/Renneé Fontenele/Ascom)
Rodney citou, ainda, a desigualdade mantida pela Federação de Futebol do Piauí entre os clubes do interior e do litoral em relação aos clubes da capital no certame.

“Totalmente desigual, porque a Federação não preza por isso, sacrifica os times do interior... A gente tem que se deslocar para Teresina e não temos ajuda financeira nem do Governo do estado, nem da Fundespi, nem da própria Federação... O menor preço que a gente consegue num ônibus pra Teresina é no valor de dois mil reais e chegando lá ainda tem o almoço, a janta, o lanche, toda logística... Temos que ir no peito e na raça... A Federação, dessa maneira, vai acabar com os times de base... Mas, a gente vai, nessa luta, em busca do resultado positivo e, se Deus quiser, vamos sair de lá com os três pontos...”, disse Rodney.

Ferrim no sub19 de 2017. (Foto/Willandy Cordeiro)
Presidente concluiu sua entrevista falando sobre o apoio que ora o Ferroviário recebe, como o do Paraíba e da Optical e a parceria da Academia Evolução.

“Para o projeto do sub19, estamos contando com o apoio do Paraíba, da Optical e da parceria da Academia Evolução... por enquanto é isso”, finalizou Rodney Spindola, presidente do Ferroviário Atlético Clube.